Mageia se reúne e conversa no FOSDEM 2017

FOSDEM (Encontro Europeu de Desenvolvedores de Software Livre e Open Source) sempre foi o evento de escolha da Mageia para se reunir com a comunidade de colaboradores (e sim, no mundo Mageia os usuários definitivamente contam como contribuintes também). A edição deste ano, como sempre em Bruxelas, na Bélgica, será mais uma grande ocasião para nos reunirmos e conversarmos juntos sobre a Mageia.

Sem estande…

Há uma pequena decepção para nós, pois a equipe FOSDEM não poderia aceitar o nosso pedido habitual para um estande Mageia. Eles sempre tem mais demandas do que espaços disponíveis e precisam tomar algumas decisões difíceis. Nós não somos a única distribuição Linux a ser deixada no banco este ano, e isso é totalmente compreensível; À medida que o ecossistema de código aberto cresce e chega bem além do escopo das distribuições Linux, há muitos novos projetos multi-plataforma que preferem o FOSDEM como uma maneira de alcançar suas próprias comunidades.

… mas uma conversa oficial!

No lado positivo, vamos compensar a falta de um estande oficial com uma conversa no devroom das distribuições, por dois líderes da equipe Mageia, Anne da equipe dev e Samuel do bugsquad, intitulado “Mageia, sucessos e lições aprendidas 6 anos após a bifurcação“. Para aqueles que não podem fazê-lo, a palestra será gravada e os vídeos serão compartilhados pela equipe do FOSDEM, assim que estiverem prontos; Para aqueles que podem, aqui estão os detalhes:

  • Mageia, sucessos e lições aprendidas 6 anos após a bifurcação – Planos retrospectivos e futuros da comunidade de distribuição
  • Palestrantes: Anne Nicolas, Samuel Verschelde
  • Data: Sábado @ 12:00
  • Location: Sala K.4.601, ULB campus, Bruxelas
  • Mais informações: página da FOSDEM

… E, mesmo assim, muitos colaboradores da Mageia presentes!

Muitos de nós ainda estaremos participando do FOSDEM, mesmo que não tenhamos um estande oficial. Então por favor, dê uma olhada na nossa página wiki. Se você pretende vir a Bruxelas para a ocasião, nós definitivamente queremos ver você, falar sobre a Mageia e desenvolver as discussões importantes que a nossa apresentação da Mageia definitivamente deve acionar!

Provavelmente haverá um jantar Mageia no sábado, que é uma grande ocasião para estarmos algum tempo juntos e termos discussões amigáveis ​​em um ambiente mais calmo do que os zumbido dos salões da FOSDEM! Podemos também ter uma sala por algum tempo no FOSDEM para uma curta reunião real com todos juntos – vamos postar mais informações sobre ela na página wiki, assim que for confirmado.

Enquanto isso, fique atento para obter mais informações sobre a Mageia 6 e o próximo 2º instantâneo de estabilização. Sabemos que a nossa comunicação tem falhado recentemente e estamos trabalhando para compartilhar mais detalhes sobre nosso trabalho em andamento com você. Obrigado por acreditar na nossa grande distro. Você vai ver em breve que valeu a pena esperar pela Mageia 6!

(escrito em inglês por Rémi Verschelde e traduzido por macxi)

 

Felizmente Anunciando a Mageia 5.1

Como estamos chegando perto do final do ano, a Mageia tem um presente para você! Estamos muito satisfeitos em anunciar o lançamento da Mageia 5.1!

Esta versão – como o Mageia 4.1 estava no seu tempo – é um respin da instalação da Mageia 5 e imagens ISO Live, com base no repositório da Mageia 5 e incorporando todas as atualizações para permitir uma instalação atualizada sem a necessidade de instalar quase um ano e  meio de atualizações. Por isso, é recomendado para novas instalações e atualizações da Mageia 4.

As novas imagens ISO estão disponíveis na página de downloads, tanto diretamente como através de torrents.

Se você estiver atualmente executando a Mageia 5, então não há necessidade de instalar a Mageia 5.1, pois é o mesmo que o seu sistema, desde que as atualizações tenham sido instaladas.

A Mageia 5.1 vem com muitos pacotes atualizados, incluindo LibreOffice 4.4.7, Linux kernel 4.4.32, KDE4 4.14.5, GNOME 3.14.3 e inúmeras outras atualizações.

As Notas de lançamento completas e a errata contém mais detalhes sobre o hardware suportado. A adição importante é que a 5.1 pode agora ser instalado unidades baseadas em NVMe. A Mageia 5 e, por extensão, a 5.1, será suportado por até 3 meses após o lançamento de Mageia 6, detalhes completos podem ser vistos aqui.

Esta versão foi possível devido ao trabalho árduo das equipes de testes de QA e ISO, bem como ao trabalho da Comunidade de empacotadores, rastreamento de bugs e acompanhamento de avisos de segurança. O teste das atualizações e imagens ISO para todos os lançamentos é um trabalho grande e qualquer ajuda nisso é muito bem-vinda. A equipe de controle de qualidade tem uma vasta gama de tarefas, portanto, se você quer se envolver, ou estiver interessado em aprender mais sobre a equipe de controle de qualidade, consulte aqui , ou contribuir para Mageia em geral.

(escrito em inglês por schultz e traduzido por macxi e caffilhobr)

Mageia esteve na Paris Open Source Summit 2016

The 2016 POSS (Paris Open Source Summit, em 16 e 17 de nov). Foi um grande evento para a Mageia e seus 3 representantes que cuidaram do estande: Dtux, Magnux77 e Lebarhon.

Este ano, não houve usuários solitários vindo com laptops para nos mostrar problemas de exibição 3D ou que seu som não estava funcionando, o que mostra quão boa é a versão Mageia 5. Em vez disso, conhecemos muitas pessoas usando a Mageia para o desenvolvimento, o ensino ou para a sua vida profissional. Foi bom ver como a Mageia é conhecida como uma plataforma séria e confiável. Conhecemos o líder de Alcasar, Um controlador de acesso à rede utilizado por muitas administrações francesas. Alcasar está funcionando em milhares de computadores, todos eles sob Mageia. Essas pessoas muitas vezes fazem boas perguntas, aqui estão dois exemplos, o primeiro de um desenvolvedor e o segundo de um professor:

Em um computador sem uma interface gráfica, após uma atualização automática, como saber se uma reinicialização é necessária? Ou pelo menos, quais pacotes precisam dele?

Mageia diz que os lançamentos Live são para testes. Para o primeiro uso da Mageia, muitas pessoas preferem usar um computador antigo não utilizado, o tipo de computador com recursos pobres. Infelizmente, as ISOs Lives são fornecidas com o KDE ou GNOME, os ambientes de desktop que precisam de mais recursos! Você não acha que os lançamentos Live devem ser enviados com LXQt ou Xfce?

Da maioria dos visitantes, a mesma pergunta estava sempre voltando de novo e de novo. No caso de não estar em sua mente …. “Quando esta previsto o lançamento da Mageia 6?” Por um lado, é bom saber que a Mageia 6 é tão esperada, mas por outro lado, isso significa que a nossa comunicação não é bastante boa (isto é algo que nós tentaremos trabalho em).

photo-poss2016

POSS, Assim como qualquer outra exposição é também uma boa maneira (se não for a única?) de qualquer colaborador Mageia ou usuário conhecer e ver todos os colaboradores que já se reuniram em fóruns ou listas de discussão. Este ano tivemos o prazer de discutir a Mageia e Linux em geral com ennael, baud, rtp, papoteur e piratu.

Cheers Dtux, Magnux77 and Lebarhon.

Em resposta às perguntas feitas, a Mageia 6 será lançada quando estiver pronta, o lançamento do próximo marco deverá estar em breve.

A inclusão de um ISO Live “light” é algo que tem sido discutido algumas vezes, enquanto não há nada impedindo que isso aconteça, os testes adicionais necessários para testar três diferentes ambientes ao LIVE sempre provou ser crítico. Se alguns voluntários estiverem dispostos a ajudar com a construção de ISO e testes, então isso é algo que poderia ser abordado no futuro.

(escrito em inglês por schultz e traduzido por macxi)

Mageia 5: suporte estendido e atualização geral

Com os atrasos da Mageia 6 e a aproximação do fim de vida (EOL) da Mageia 5 (inicialmente previsto para o início de dezembro), achamos que seria bom dar uma atualização sobre as coisas com a Mageia 5 e 6.

Em primeiro lugar, cada lançamento até agora tem tido suporte por até 3 meses após a próxima versão, e Mageia 5 não será diferente. Como a Mageia 6 está sendo adiada, o suporte da Mageia 5 será automaticamente estendido para dar aos usuários 3 meses para serem atualizados antes que a Mageia 5 deixe de receber atualizações de segurança.

Nós também estaremos lançando as ISOs da Mageia 5.1 muito em breve (eles estão esperançosamente em sua rodada final de testes agora). Isso permitirá que novos sistemas sejam instalados com todas as atualizações que a Mageia 5 recebeu. Como ocorreu com a Mageia 4.1, estas são as novas ISOs da mesma versão, então os sistemas instalados na Mageia 5.1 dependerão dos mesmos repositórios da Mageia 5 e receberão o mesmo suporte. Nós anunciaremos a EOL final assim que a Mageia 6 for lançada, mas você já pode contar com mais de 3 meses.

Em segundo lugar, a Mageia 6 não foi esquecida. Tivemos problemas com o servidor de construção ISO, mas agora que estes foram resolvidos e progresso da 5.1 é bom, o próximo marco de lançamento da Mageia 6 ira ocorrer logo após o lançamento do Mageia 5.1. Evidentemente, os desenvolvedores não estiveram ociosos, mesmo que não tenham sido produzidas ISOs, e o Cauldron está em excelente forma, com muitas atualizações e correções, por isso esperamos que os próximos marcos (instantâneo de estabilização 2, release candidate (s), final) cheguem rapitamente, e um perto do outro.

Em outras notícias, tivemos um estande na Paris, no Open Source Summit, uma texto completo sobre a notícia seguira em breve.

Origem da imagem – https://xkcd.com/606/

(escrito em inglês por schultz e traduzido por macxi)

Meu QtCon + Akademy 2016

De 31 de agosto à 10 de setembro estive em Berlim participando de duas fantásticas conferências: QtCon e Akademy.

QtCon reuniu cinco diferentes comunidades para que elas realizassem suas respectivas conferências em um mesmo tempo e espaço, criando assim um grande e diversificado evento. As comunidades participantes foram o Qt, KDAB, KDE (celebrando seu aniversário de 20 anos), VLC e FSFE (ambas comemorando 15 anos de atividades).

bcc

Principal sala de conferência do QtCon no bcc

Esta diversidade de temas foi uma interessante característica do QtCon. Realmente gostei muito de assistir apresentações de pessoas do Qt e KDAB, e também fiquei surpreso com os temas relacionados à comunidade do VLC. Os avançados aspectos técnicos de apresentações sobre Qt em mobile, Qt em IoT (incluindo carros autônomos), o futuro do Qt, Qt + Python, como contribuir para o Qt, e mais, chamaram minha atenção durante a conferência.

Sobre o VLC eu fui surpreendido pelo tamanho da comunidade. Nunca imaginei que o VLC teria tantos desenvolvedores… de fato, nunca pensei que a VideoLAN na verdade é um guarda-chuva para vários projetos relacionados com multimídia, como codecs, ferramentas de streaming, ports do VLC para dispositivos específicos (incluindo carros via Android Auto), e mais. Apreciei bastante encontrar este pessoal e assistir às suas apresentações.

Estava na expectativa que o VLC 3.0 fosse lançado durante a QtCon, mas infelizmente isto não ocorreu. É claro, o time de desenvolvedores está melhorando este novo release, e quando ele estiver finalizado terei um VLC para utilizar junto com meu Chromecast. Portanto, mantenham o bom trabalho cabeças de cone!

As apresentações da FSFE foram interessantes também. No Brasil é comum termos palestras sobre os aspectos políticos e filosóficos do software livre em conferências como o FISL e Latinoware. Na QtCon, FSFE trouxe este tipo de apresentação no “estilo europeu”: algumas vezes as apresentações pareciam ser um pouco mais pragmáticas em suas abordagens. Outras apresentações da FSFE falaram sobre a infraestrutura e aspectos organizacionais da fundação, uma visão geral interessante para compararmos com outros grupos como a ASL.org no Brasil.

E claro, também tivemos várias apresentações dos nossos companheiros cabeças de engrenagens. Destaco as palestras sobre a história do KDE, as novidades do Plasma, o estado do Plasma Mobile, KF5 no Android, a experiência do Minuet no mundo mobile, entre outras.

O anúncio da KDE Store foi uma novidade interessante e espero que ela trará mais atenção para o ecossistema do KDE quando pacotes multidistros (snap/flat/etc) estiverem disponíveis na loja.

Outro software que chamou minha atenção foi o Peruse, um leitor de quadrinhos. Espero que os desenvolvedores resolvam os atuais entraves para lançarem o quanto antes uma versão mobile, pois assim esse software poderá alcançar uma boa base de usuários nessas plataformas.

Ao final do QtCon, o Akademy teve início na universidade TU Berlin, em um belo e confortável campi. Esta fasse da conferência foi repleta de sessões e discussões técnicas, hacking e diversão.

Eu participei dos BoFs sobre Flatpack, Appstream, e Snapcraft. Houveram avançadas discussões técnicas sobre estes temas. Em todo Akademy fico impressionado com o avançado nível das discussões empreendidas pelos hackers do KDE. Esses caras são foda!

O BoF do Snapcraft foi um tutorial sobre como usar esta tecnologia para criar pacotes crossdistro de software com suas respectivas dependências. Foi muito interessante e gostaria de testar um pouco mais e também dar uma olhada no Flatpak, de forma que eu possa selecionar algum deles parar criar um pacote do Cantor.

Infelizmente perdi o BoF do Kube. Desejo muito um projeto PIM alternativo para o KDE, focado em E-Mail/Contatos/Calendário, e que seja mais econômico em termos de demanda de recursos computacionais. Estou mantendo minha atenção e expectativas nesse projeto.

Nos demais dias basicamente passei meu tempo trabalhando no Cantor e conversando com colegas do KDE de várias partes do mundo sobre diversos tópicos como KDE Edu, melhorias na nossa infraestrutura do Jabber/XMPP, KDE 20 anos, Plasma em computadores pequenos (valeu sebas pelo Odroid-C1+ 😉 ) WikiToLearn (seria interessante uma maneira de importar/exportar planilhas do Cantor do/para WikiToLearn?), e claro, ceveja e comida alemã.

Sobre Berlim? Esta foi minha segunda vez na cidade, e como na primeira fiquei bastante animado com a atmosfera multicultural da cidade, a comida (<3 porco <3), e as cervejas. Ficamos em Kreuzberg, um bairro hipster, onde pudemos visitar diferentes restaurantes e bares mantidos por imigrantes. Os eventos da QtCon+Akademy também foram interessantes, como a celebração da FSFE no c-base e o dia de descanso do Akademy na Ilha do Pavão.

Portanto, gostaria de dizer obrigado ao KDE e.V. por auxiliar na minha participação nos dois eventos, valeu Petra por nos ajudar com o hostel, e obrigado a todos os voluntários pelo trabalho duro que realizaram, fazendo esse Akademy uma verdadeira celebração da comunidade KDE.

photo_2016-10-25_11-54-34

Alguns brasileiros na QtCon/Akademy 2016: KDHelio, Lamarque, Sandro, João, Aracele, Filipe (eu)

Meu LaKademy 2016

Foto em grupo LaKademy 2016

No final de maio, por volta de 20 gearheads de diferentes países da América Latina estiveram juntos no Rio de Janeiro, trabalhando em diferentes frentes do KDE. Este é o nosso “sprint de multiprojetos” chamado LaKademy!

A exemplo das edições anteriores do LaKademy, neste ano trabalhei pesado no Cantor; e ao contrário de edições anteriores, desta vez fiz algum trabalho em projetos que pretendo lançar em algum momento no futuro. Portanto, vamos ver meu relatório sobre o LaKademy 2016.

Cantor

LaKademy é muito importante na história do desenvolvimento do Cantor porque foram durante estes sprints que pude me focar e realizar importantes trabalhos de desenvolvimento que resultaram em novas funcionalidades para o software. Nas edições anteriores eu dei início ao desenvolvimento do backend para Python 2, portei o Cantor para Qt5/KF5, eliminei a kdelibs4support, e mais.

Este ano foi o primeiro LaKademy após receber o status de mantenedor di Cantor e, mais fantástico ainda, esta foi a primeira edição onde não fui o único a trabalhar no Cantor: tivemos um verdadeiro time trabalhando em diferentes partes do software.

Meu principal trabalho foi realizar uma pesada triagem nos bugs, fechando alguns antigos e confirmando outros tantos. Nessa tarefa pude corrigir alguns, como a renderização LaTeX e o crash após fechar a janela quando utilizando o backend do Sage, ou a correção dos comandos de plot para o backend do Octave.

Meu segundo trabalho foi auxiliar os outros desenvolvedores que estavam trabalhando no Cantor, algo que me deixou muito feliz e satisfeito. Ajudei o Fernando Telles, meu aluno do SoK 2015, para corrigir o backend do Sage para que ele pudesse suportar versões maiores que a 7.2. Wagner Reck trabalhou em um possível novo backend para Root, o framework para programação científica desenvolvido pelo CERN. Rafael Gomes criou uma imagem Docker do Cantor para tornar mais fácil a configuração do ambiente, compilação e contribuição de novos desenvolvedores. Ele quer utilizar isto em outros software do KDE, e fiquei muito feliz pelo Cantor ser o primeiro software a participar deste experimento.

Outro trabalho relevante foram algumas discussões com demais desenvolvedores para definirmos uma tecnologia “oficial” para criação de backends no Cantor. Atualmente, o Cantor tem 10 backends, desenvolvidos de diferentes formas: alguns deles utilizam APIs C/C++, outros usam Q/KProcess, alguns usam protocolo DBus… você pode imaginar o quão maluco é manter todos esses backends ao mesmo tempo.

Ainda não selecionei uma tecnologia para isso. Ambos DBus e Q/KProcess tem suas vantagens e desvantagens (DBus é uma solução mais “elegante” mas por outro lado torna Cantor muito difícil de ser levado para outras plataformas, algo que seria fácil se utilizássemos Q/KProcess)… bem, vou esperar o novo backend baseado em DBus para Julia, que será desenvolvido pelo meu aluno do GSoC 2016, após isso tomarei uma decisão sobre o que usar.

Da esquerda para a direita: Ronny, Fernando, Ícaro, e eu 😉

Novos projetos: Sprat e Leibniz (nomes não-oficiais)

Este ano pude trabalhar em alguns novos projetos que pretendo lançar no futuro. Seus nomes provisórios são Sprat e Leibniz.

Sprat é um editor de texto para escrever rascunhos de artigos científicos. Um texto científico segue alguns padrões de sentenças e figuras de linguagens. Pense sobre “Uma abordagem baseada em algoritmos genéticos foi aplicada ao problema do caixeiro viajante”: é fácil identificar o padrão nesse texto. Linguistas vem trabalhando nisso e é possível classificar sentenças baseadas no objetivo de comunicação a ser atingido por aquela sentença. Sprat permitirá ao usuário navegar em um conjunto de sentenças e selecioná-las para criar um rascunho de artigo científico. Eu planejo lançar o Sprat neste ano, portanto esperem por mais notícias logo mais.

Leibniz é Cantor sem planilhas (worksheets). Algumas vezes você quer apenas executar seu método matemático, seu script científico, e outros programas relacionados, sem colocar explicações, vídeos, figuras, e outros mais no termina. No KDE temos fantásticas tecnologias que nos permitem desenvolver uma interface “estilo Matlab” (KonsolePart, KTextEditor, QWidgets, e plugins) para todo tipo de linguagem de programação científica como Octave, Python, Scilab, R… apenas executando esses programas no KonsolePart já temos acesso ao destaque de sintaxe, complementação de código… eu gostaria de ter um software como esse, portanto iniciei esse desenvolvimento. Decidi criar um novo software e não apenas uma nova view pro Cantor porque penso que o código fonte do Leibniz será menor, e mais fácil de manter.

Então, se você se interessou por alguns destes projetos, comente abaixo para que eu fique sabendo e espere pelos próximos meses por mais novidades! 🙂

Trabalhos da comunidade

Durante o LaKademy tivemos nosso encontro de promoção, uma manhã inteira para discutir ações de promoção do KDE na América Latina. O KDE terá um dia de atividades no FISL e nós estamos animados para fazer um monte de festas de comemoração aos 20 anos do KDE nos principais eventos de software livre no Brasil. Também avaliamos e discutimos a continuação de algumas interessantes atividades como o Engrenagem (nossa série de videocasts) e novos projetos como vídeo de demonstrações de aplicações do KDE.

Nessa reunião também decidimos a cidade que sediará o LaKademy 2017: Belo Horizonte! Estamos na expectativa de termos um ano com incríveis atividades do KDE na América Latina para avaliarmos no próximo ano.

Conclusão: “O KDE na América Latina continua lindo

Nesta edição do LaKademy tivemos muito trabalho realizado por nossos dedicados colaboradores nas mais diferentes frentes do KDE, mas também tivemos momentos para ficarmos juntos e consolidar nossa comunidade e amizade. Infelizmente tivemos pouco tempo para conhecer o Rio de Janeiro (esta foi minha primeira vez na cidade), mas fiquei com uma boa impressão da cidade e das pessoas. Espero voltar aqui no futuro, talvez ainda este ano.

A melhor parte de ser um membro de uma comunidade como o KDE é fazer amigos para a vida, pessoas com quem você gosta de compartilhar bebidas e comidas enquanto conversa sobre qualquer coisa. Isso é muito legal para mim e pude encontrar bastante disso no KDE. <3

Valeu KDE e vejo vocês logo mais nos próximos LaKademies!

Anunciamos a ISO da Mageia 5.1 e uma atualização sobre o progresso da Mageia 6

É provável que não seja novidade para você que estamos atrasados com o cronograma original da Mageia 6. Como uma distro desenvolvida pela comunidade com uma quantidade limitada de recursos e colaboradores, nós mantemos o “Lançamento quando estiver pronto” e não queremos apressar o lançamento até que estejamos totalmente felizes com ele. Obviamente, ainda não estamos totalmente satisfeitos com a Mageia 6, embora esteja adequando-se muito bem! Por outro lado, estamos muito satisfeitos com a Mageia 5 e queremos continuar a apoiá-la até que a Mageia 6 esteja pronto para ser lançada.

Próxima ISO da Mageia 5.1

Devido a este atraso, vamos atualizar a versão das imagens ISO da Mageia 5 para preencher a lacuna até Mageia 6 estar pronta.

Os novos ISOS da Mageia 5.1 incluirá todas as atualizações de segurança e correção de bug liberadas para Mageia 5 até agora, incluindo o kernel do LTS atualizado (4.4.x) para suporte de hardware melhorado.

Como isso foi feito para Mageia 4.1, isto não constitui um novo lançamento em si, mas uma maneira mais fácil de instalar um up-to-date da Mageia 5. Usuários com a Mageia 5 já instaladas não terão que reinstalar nada, pois a atualização do sistema já tem o mesmo que as imagens  5.1. Novos usuários, no entanto, seria bom ter o bem testado kernel 4,4 desde o início, em vez de começar com o kernel originais 3.19 da Mageia 5.

Nós provavelmente iremos estender o período de suporte da Mageia 5 para cobrir, pelo menos, 3 meses de transição após o lançamento Mageia 6. A data de fim-de-vida exata será atualizada quando as ISOs 5.1 forem liberadas.

Infra volta aos trilhos na Mageia 6

Tem havido alguns problemas de infra-estrutura, causando atrasos para obtermos os ISOs para construir, o que particularmente impacta o teste interno para instantâneo de estabilização 2 da Mageia 6 ao longo dos últimos meses. Estes já foram principalmente resolvido, e nossa equipe de construção da ISO (e seus novos recrutas!) terá a oportunidade para afinar o processo com os ISOs atualizados da Mageia 5, antes de voltar para Mageia 6.

Os atrasos têm permitido que a inclusão de versões mais recentes de algumas pilhas de software. Plasma amadureceu muito e ganhou estabilidade e integridade de recurso ao longo dos últimos meses, e nós seremos capaz de lançar a Mageia 6 com Plasma 5.8 LTS. Nós também iremos incluir GNOME 3.22, que está atualmente a sendo preparado para o Caldeirão.

Empacotadores e desenvolvedores trabalham nos bugs bloqueadores de lançamento

A principal razão para o atraso do Mageia 6 são, claro, os bugs de bloqueio restantes (chamados bugs bloqueadores de lançamento) que queremos corrigir antes do lançamento.

Empacotadores e desenvolvedores estão trabalhando para corrigir os bugs bloqueadores de lançamento restantes. Uma nova ferramenta foi prontamente desenvolvida em Mageia AppDB para ajudar a visualizar o progresso das versões dos bloqueadores atuais. Esperamos ter o segundo instantâneo de estabilização disponível logo após as ISOs da Mageia 5.1 serem liberadas, provavelmente em algum momento de outubro 2016. Quanto à versão final, nós não queremos dar uma data precisa ainda, mas devemos conseguir fazer o lançamento em 2016 🙂

Como sempre, muitas mãos ajudando fazem o trabalho mais leve, por isso, se você estiver interessado em testear ISOs, controle de qualidade, empacotamento ou apenas quer se envolver com a Mageia, por favor, dê uma olhada aqui para mais detalhes sobre como se envolver.

(escrito em inglês por schultz e traduzido por macxi)

Dandifying Mageia – Adicionando a pilha DNF para Mageia

Há um monte de coisas boas vindo para Mageia 6: KDE Plasma 5 desktop, alterações de outros ambientes de trabalho, muitos jogos novos, e uma nova camada de tinta com um novo estilo visual. No entanto, há um monte de melhorias sob o capô em Mageia também!

Entre as muitas melhorias menos visível esta é DNF, novo resolvedor de dependência. DNF (dandified Yum) é uma ferramenta da próxima geração de resolvedores de dependência e gerenciamento de pacotes de alto nível com uma história interessante. DNF segue sua ascendência a dois projetos: Yum de Fedora (Yellowdog Updater, Modified) e SAT (libsolv) Solver do openSUSE. DNF foi bifurcada da Yum há vários anos, a fim de reescrevê-lo para usar a biblioteca SAT Solver do openSUSE (que é usado em sua própria ferramenta, Zypper). Outra meta do garfo era reestruturar maciçamente a base de código para que uma API sã estivesse disponível tanto para estender DNF (via plugins e ganchos) como para aplicações de construção em cima dela (tais como interfaces gráficas e estruturas de automação do ciclo de vida do sistema).

DNF estará disponível para aqueles dispostos a usá-lo, no entanto, urpmi e as ferramentas de gerenciamento de software das atuais famílias Mageia permanecerá como padrão no Mageia para o futuro previsível.

Em muitos aspectos, estes objetivos foram alcançados. navios DNF com uma interface bem estruturada linha de comando, uma API fácil de usar e muito completo, uma dúzia de plugins do núcleo, e uma dúzia contribuiu plugins.

Como consequência do trabalho necessário para adotar DNF, Mageia agora é amplamente compatível com uma ampla gama de ferramentas para gerenciamento de sistemas com base no RPM, devido ao uso de ferramentas que é comum a outras grandes distribuições Linux baseadas em RPM (como Fedora e openSUSE). Por exemplo, ferramentas como Spacewalk and Katello vai (até certo ponto) ser capaz de gerir sistemas Mageia 6 para instituições como escolas e empresas.

PackageKit também tem sido mudado para um novo backend que aproveita o trabalho feito para permitir DNF, permitindo-nos ativar corretamente ferramentas de gerenciamento de software de aplicativos centrados como o Software GNOME e Plasma Discover do KDE, para proporcionar uma experiência de gerenciamento de software de desktop de alta qualidade através da área de trabalho com as ferramentas nativas do meio ambiente.

Além disso, estamos trabalhando com os desenvolvedores de Fedora COPR (Um sistema PPA-style desenvolvida e fornecida por nossos amigos no Projeto Fedora) para a Mageia 6 e Caldeirão serem adicionado como distribuições Linux suportadas. Isto irá permitir que as pessoas interessadas em fornecer pacotes de software livre/de fonte aberta para Mageia  terem um lugar onde eles possam construí-los e ter um repositório de pacotes hospedado. Uma vez que o suporte para Mageia for ativada no Fedora COPR, adicionar repositórios será tão fácil quanto o “DNF copr permitir”.

Um dos frutos nascidos a partir deste esforço é que o apoio à criação de pacotes para Mageia 6 agora é construído a partir Mock, a ferramenta padrão de construção de pacotes limpos utilizado pela Red Hat, Fedora e CentOS. A partir de Mock 1.2.18 e mais recentes (disponível nos lançamentos suportados da RHEL/CentOS e Fedora, bem como no próximo Mageia 6), é possível criar pacotes Mageia sem ter de mudar as distribuições ou construir manualmente chroots, contentores, ou máquinas virtuais. Da mesma forma, com a Mageia 6, é possível construir pacotes Fedora utilizando a mesma ferramenta. Claro, você pode criar pacotes Mageia de Mageia 6 com Mock também. Mock é o mecanismo de compilação do núcleo para o Fedora COPR, por isso foi essencial para fazer este trabalho, e assim se fez.

O trabalho para disponibilizar DNF na Mageia 6 representa quase um ano de trabalho, colaborando e cooperando com o upstream project e o Projeto Fedora para implementar isso da melhor maneira possível. Esperamos que a introdução de DNF e o novo backend PackageKit ofereça uma maneira nova e fácil de usar para as pessoas a interagir com o software instalado e disponível no Mageia!

Se você quiser saber mais sobre DNF, veja nossa página wiki sobre como usá-lo.

(escrito em inglês por schultz e traduzido por macxi)

E o vencedor é….

Nós completamos o concurso arte e gostaríamos de estender nossos agradecimentos a todos que participaram, houve alguns excelentes trabalhos apresentados e escolher os vencedores foi uma tarefa difícil.

Gostaríamos de felicitar Jacques Daugeron por ganhar o concurso de imagem de fundo. Os demais classificados estarão disponíveis no pacote de tema extra também.

Abaixo está a imagem de fundo de assinatura da Mageia 6. Ela será incluída nas próximas atualizações para os pacotes temáticos.

Mageia-Default-3840x2160

Aqui estão algumas das imagens que serão incluídas no pacote de imagens de fundo extras.

extra1
extra2

Além disso, parabéns aos vencedores do concurso de protetor de tela (screensaver): Fabien Deschodt, Володимир, fkuller, Teimuraz Khazaradze, Donald Stewart, Jose, Philippe Verschelde e Mészáros Csaba. Foi ótimo ver tantos colaboradores provenientes de locais tão distantes do mundo.

Temos imagens do pôr do sol do Mar Negro, montanhas nevadas na Escócia, grandes cidades europeias, todo o caminho para cursos d’água da América do Sul. É bom ver o apelo global que Mageia traz.

screensavers

Mais uma vez obrigado a todos os colaboradores, estamos ansiosos para ouvir o seu feedback sobre o novo visual!

(escrito em inglês por schultz e traduzido por macxi)

O próximo passo para a Mageia 6 está aqui, STA1 foi liberado

Todos na Mageia estamos felizes em anunciar o lançamento do próximo passo no caminho para Mageia 6.

O primeiro instantâneo de estabilização, como o nome sugere, pretende começar a trazer tudo junto e obter o novo software estável o suficiente para a liberação. A maioria das grandes atualizações desde dev1 foram movendo-se de versões beta/RC dos principais componentes de software para os estáveis, que esperamos dar uma sensação muito bem polida para o lançamento.

GRUB 2 é agora o bootloader padrão, como GRUB legado tem finalmente o seu curso. Mudamos também do KDE 4 para o Plasma 5, bem como resolvemos questões de localização. A mudança para GRUB2 levou à necessidade de alterações de nossas ferramentas e do instalador que tiveram alguns ajustes para ficarem ok, pois queríamos ter certeza de que o lançamento estaria funcional para testes.

As mídias live estão agora disponíveis. No entanto, devido à limitação de espaço, os LiveCDs foram abandonados em troca dos LiveDVDs mais completos, permitindo assim uma disponibilização mais ampla do ecossistema área de trabalho. A mídia de instalação estará disponível como normal (note que, por razões semelhantes, a mídia DVD dual-arch também foi descartada).

Nós já entramos em congelamento da versão, por isso, as versões de pacotes vistos aqui serão provavelmente as principais versões enviadas com a Mageia 6, embora o nosso objetivo é atualizar para o kernel 4.7 para melhor suporte de hardware novo e um ciclo de suporte maior. Esperamos que isto irá oferecer a mistura perfeita de atualização e estabilidade.

Mageia 6 STA1 vem com o seguinte:

  • Linux Kernel 4.6.3
  • Glibc 2.22
  • Plasma 5.6.4
  • GNOME 3.20.3
  • MATE 1.14.1
  • Cinnamon 3.0.1
  • LibreOffice 5.1.4.2
  • Firefox 45 ESR
  • Thunderbird 45
  • Chromium 51

Notas de lançamento completas estão disponíveis aqui.

As ISOs estão disponíveis para teste no site Mageia ou, se preferir, num espelho específico, na lista disponível aqui. Enquanto esperando que esta versão fique mais perto de um lançamento totalmente estável e utilizável, lembre-se que este ainda é um pré-lançamento e está no início do ciclo de lançamento Mageia 6. Assim, nós gostaríamos de receber no Bugzilla um relatório dos erros que você encontrar, para que possamos corrigií-los para o lançamento final. As ISOs foram totalmente testadas por nossa equipe de QA por isso esperamos que elas funcionem bem para você.

Se você quiser de se envolver nos testes de controle de qualidade, testes das ISO ou qualquer outra parte do Mageia, dê uma olhada na nossa página de contribuição com idéias de como você pode ajudar. Novos contribuintes são sempre bem-vindos.

Estamos ansiosos para ouvir o seu feedback.

(escrito em inglês por schultz e traduzido por macxi)