Retrospetiva: de volta do CLT 2017

Faz quase uma semana desde os dias do Chemnitzer Linux: tempo para uma breve revisão (Link em alemão):

Uma longa história resumida: esta reunião foi um grande sucesso.

Alfred e eu chegamos sexta-feira à noite e  formos verificar a localização do evento. O slogan do CLT 2017 “Barrieren einreißen” (ingl: “derrubar barreiras”) não poderia ter sido escolhido melhor. Para chegar lá pelo caminho mais curto que tivemos que derrubar muitas barreiras, pois parece que Chemnitz é um único grande canteiro de obras. Por isso, levamos um tempo para encontrar a melhor rota alternativa.

Quando chegamos, fomos calorosamente recebidos pela equipe da organização e tivemos nossa primeira discussão, sobre a relação entre o número de projetos livres e o número de empresas e o perigo de patrocinar esse tipo de evento pelas grandes empresas. Por outro lado, os projetos gratuitos beneficiam dos custos mais baixos, da preparação do estande (incluindo impressão gratuita de um cartaz) e de dois dias de refeições gratuita.

sdr

Na manhã de sábado, após a chegada de Jürgen e Frank para completar o nosso atendimento, ficamos um pouco receosos de que o nosso estande não recebesse suficiente atenção, porque estava localizado num canto. Aconteceu que não foi o caso: estávamos entrando em contato com muitas pessoas diferentes e havia tempo suficiente para várias discussões sobre o nosso projeto. Também a nossa apresentação da próxima Mageia 6 levantou muito interesse. Também tivemos muitos brindes, como canetas, adesivos, copos, t-shirts e porta USB (que trocamos por uma pequena doação) e também os biscoitos suíços atraíram visitantes e atendentes de estandes da mesma maneira. Porque havia 4 de nós, houve também algum tempo para visitar conversas e entrar em contacto com outros projetos em torno de nós.

No sábado à noite houve (como todos os anos) o grande jantar para os funcionários e atendentes de estandes com muita comida e bebida. E mesmo lá tivemos algumas discussões muito interessantes e informativas com pessoas de outros projetos ou associações (um especial respeito a Christoph de LUG Frankfurt  (Link em alemão), se ele está lendo isso).

Parecia que o domingo não era tão ocupado (muitos dos visitantes já haviam visitado o estande no sábado), mas de qualquer maneira o estande da Mageia ainda atraiu muitos outros visitantes. Havia alguns que cumprimentaram a Mageia como a única distribuição em que seu WIFI funcionou ou outros que estão usando esta distribuição ​​e seus antecessores, desde os tempos da Mandrake. No entanto, ainda há algumas pessoas ao redor que nunca tinha ouvido falar sobre a Mageia, embora ele já exista há cerca de 7 anos e lançou 5 grandes versões. Então isso deve nos levar a aumentar o nosso marketing como fizemos com esta presença na CLT.

Finalmente, queremos dizer um grande “Obrigado” à equipe de organização da CLT 2017 por nos dar a oportunidade de apresentar a Mageia lá. Em troca da impressão de um segundo cartaz, doamos € 20  aos pingüins do parque de animais em Limbach-Oberfrohna, que são adotados pela CLT (Link em alemão / Video in German).

(escrito em inglês por Marc Lattemann e traduzido por macxi)

Resumo semanal – 2017, semana 11

Foi uma outra semana ocupada com muitas mudanças, atualizações, testes e notícias.

Caldeirão

Todas as ferramentas desenvolvidas pela Mageia foram atualizadas para incluir as mais recentes traduções, bem como atualizações para o instalador DrakX, que esperamos corrigir alguns dos bugs restantes, mais sobre isso mais tarde. Libinput foi atualizado para 1,7 RC2, portanto, se houver alguma regressão com dispositivos de entrada a seguir, por favor envie bugs para o bugzilla, para que possamos ajudar a corrigir upstream a tempo para a Mageia 6. O kernel foi atualizado para 4.9.15 final ontem, com as reconstruções necessárias seguindo, para que a atualização esteja disponível em breve, se não já. Os aplicativos KDE 16.12.3 e MATE 1.18 também foram adicionadas. A atualização do FFmpeg e as reconstruções necessárias foram finalizadas, então espero que todas as questões tenham sido corrigidas por lá, o v4l-utils 1.12.3 também veio. Construções para uma atualização do VLC 3.0-git snapshot também está em andamento. Houve também atualizações para Calibre 2.81 e LibreOffice 5.3.1.rc2. Quando isso foi escrito, havia uma atividade extensa no sistema de compilação, então muitas atualizações devem estar chegando.

Resumo de comentários sobre os testes com Sta2:

Embora a maioria dos comentários tenha sido positiva, na medida em que estamos avançando em direção a uma versão candidata a lançamento, ainda há problemas em andamento com os drivers proprietários da NVIDIA, especificamente o driver 340 para placas ligeiramente mais antigas. O teste de correções estão em andamento, uma nova rodada de ISOs internas foi gerada para testar isso e para verificar o status nos bugs do instalador, como alguns botões que aparecem fora da tela na fase de particionamento em alguns idiomas. A próxima rodada de testes ISO estará em preparação para o lançamento do RC.

Mageia 5

As atualizações do kernel para o 4.4.54 estão em testes, portanto esperem que as atualizações sejam validadas logo.

As atualizações de segurança para MariaDB, Pidgin, libquicktime e outros estão sendo validadas, bem como alguns outros que estarão disponíveis em breve.

Comunidade

Grupos de manutenção para os principais linguagens de programação estão em processo de configuração, para compartilhar nominalmente a carga de trabalho das enormes pilhas perl ou python em grupos de empacotadores. Grupos semelhantes para outras grandes pilhas ou componentes provaram ser bem sucedidos para o kernel, as ferramentas Mageia e alguns ambientes de desktop, o que permitirá um compartilhamento de trabalho similar nas pilhas de idiomas.

No evento bem sucedido no Chemnitz Linux Day, a Mageia tinha um estande lá mostrando o nosso sistema, com contribuintes disponíveis para responder a perguntas. Um texto completo sobre esse tema será escrito em breve, entretanto, algumas fotos já estão no Forum alemão.

(escrito em inglês por Donald Stewart e traduzido por macxi e Carlos Filho)

ALCASAR, Um controlador de acesso à rede de código aberto baseado na Mageia

ALCASAR É um controlador de acesso gratuito à Internet para redes de consulta privadas ou públicas. Ele autentica e protege o acesso dos usuários independentemente de seu tipo de conexão, ou equipamentos (PC, smartphone, console de jogos, televisores, etc.) “.

Eu conheci o pessoal do ALCASAR em 2012, durante um evento francês e eu descobri que eles estavam usando a Mageia em um projeto profissional. Então o tempo correu rapidamente e finalmente aqui estamos nós. Richard Rey concordou em responder às nossas perguntas sobre ALCASAR e a Mageia.

Você pode se apresentar? Qual é sua formação técnica e por que você começou a contribuir para o projeto ALCASAR?

RR: Richard REY (também conhecido como Rexy). Sou Diretor Adjunto do laboratório de pesquisa em segurança informática (C + V) ° na ESIEA, uma “escola de engenheiros de tecnologia digital”. Esta escola, que é uma associação sem fins lucrativos (seguindo a “lei francesa 1901”), é certificada pela CTI (Comissão dos Títulos de Engenheiros). Ele está localizado em três campi (Paris, Ivry e Laval).

Eu deixei o exército francês há quatro anos atrás após uma carreira de 27 anos nos campos de telecomunicações digitais, guerra eletrônica e batalha digital.

A gênese do projeto ALCASAR: Enquanto eu era um RSSI em um grande Comando, fui confrontado com a instalação de uma ferramenta técnica em um grande número de sites geográficos. Ele tinha de cumprir os requisitos da Lei para a Confiança na Economia Digital (LCEN). Esta lei exige que todas as conexões feitas por usuários da Internet devem ser registradas por um ano. O objetivo do meu lado era claro: proteger os responsáveis ​​das redes de Internet (aqueles que pagam a assinatura) de inquéritos judiciais relacionados a inconveniências de alguns usuários conectados (incitação ao ódio racial, lenocínio, pornografia infantil , fraude, extorsão, apologia ao terrorismo, etc.).

Depois de várias pesquisas mal sucedidas (produtos incompletos, muito complexos ou “fora do orçamento”), decidi criar uma equipe e criamos o ALCASAR (Aplicativo Livre para Controle de Acesso Seguro e Autenticado na Rede).

– Você pode descrever o projeto ALCASAR, sua comunidade e suas características?

RR: Desde o início do projeto, temos forçado fortes restrições técnicas e éticas: todos os vestígios de conexão de todos os protocolos devem ser armazenados por um ano (LCEN). Devem estar disponíveis apenas às autoridades competentes (CNIL). Qualquer traço digital deve integrar a noção de volume, duração e deve permitir encontrar um usuário “humano” (um ser humano não é um endereço IP …).

O coração do projeto foi desenvolvido em torno de quatro blocos de construção principais: o servidor Radius freeradius, o NAC (Network Access Controller), coova-chilli, o RDBMS mariadb e o firewall netfilter.

Depois de adicionar o apache e o PHP para propor uma interface de administração Web amigável, o projeto ficou conhecido fora da esfera militar.

Novas funcionalidades foram solicitadas (filtragem de lista e nome de domínio, “lista negra” e “lista branca”, filtragem de protocolos, usuário/filtragem específica de usuário, importação e personalização de lista negra/lista branca, gerenciamento de tempo de conexão, identificação SMS, autenticação de endereço MAC, internacionalização de Interfaces, etc.).

Fiel às nossas raízes militares, a comunidade está organizada de forma muito piramidal. Apenas três ou quatro contribuidores podem interagir diretamente com nosso SVN. Os outros propõem suas contribuições para esses quatro usuários “privilegiados”. Cerca de vinte pessoas de todas as nacionalidades estão atualmente inscritas no projeto (uma dúzia está ativa).

– Na sua página inicial, diz que a Mageia faz parte do seu ecossistema de software. Por que essa escolha?

RR: No início do projeto, eu usei a distribuição Mandrake Linux. Isso era tudo o que eu estava procurando tanto do lado profissional como o pessoal. Apreciei especialmente as rigorosas atualizações de segurança (sem surpresas desagradáveis) e o lado “Made In France”. Permanecemos leais e naturalmente evoluímos o ALCASAR na Mandriva Linux e depois na Mageia. A próxima versão 3.1 do ALCASAR será instalada na Mageia 5.1. Vamos naturalmente continuar este ciclo com a Mageia 6.

– Você tem uma idéia dos usuários do ALCASAR de hoje?

RR: Em termos de volume: não. Em termos de utilização, sabemos que os ministérios franceses e estrangeiros estão a usá-lo. Algumas empresas o implantaram e por vezes o incluíram em sua política de segurança. Também sabemos que a ESN instala e administra isto em nome de seus clientes. Temos muitos retornos de hoteleiros, fornecedores, associados, gerentes de acampamento, clubes de férias …

Quais são as relações entre ALCASAR e a Mageia? Você contribui para a Mageia? Como a Mageia pode ajudá-lo?

RR: ALCASAR só funciona na Mageia e não há nenhuma discussão para mudar isso agora. Isso nos permite dedicar-nos às evoluções da funcionalidade em vez de desperdiçar nosso tempo adaptando-a para outras distribuições.

Nós contribuímos muito pouco (muito pouco para o meu gosto) para Mageia. Relatamos os bugs que têm impacto nos vinte pacotes de software que incluímos no ALCASAR. Nós embalamos algum software que somos, na minha opinião, os únicos a usar (HAVP, Netflow core probe, coova-chilli).

(escrito em inglês por Anne Nicolas e traduzido por macxi)

Resumo semanal – 2017, semana 10

Caldeirão

Esta semana tivemos um enorme marco para a Mageia 6: o lançamento do nosso segundo instantâneo de estabilização, “sta2“. É o produto de 8 meses de trabalho desde o marco anterior, sta1, e a qualidade melhorou muito! A maioria dos comentários sobre o lançamento foi excelente, o que é sempre bom ouvir. Estamos agora muito mais perto da versão final da Mageia 6.

Pouco depois que o sta2 foi lançado, nós empurramos o novo upgrade do FFmpeg 3.2.4 para o Caldeirão. Nosso ramo anterior era de 2,8, que estava lentamente ficando um pouco velho e poderia ter sido difícil de manter durante toda a vida da Mageia 6. O FFmpeg 3,0+ trouxe várias mudanças na API, e tivemos que gastar algum tempo na correção das “dependências inversas” (ou seja, os pacotes que dependem de uma determinada biblioteca)  do ffmpeg – este trabalho está agora na maior parte terminado, em grande parte graças aos remendos tomados de projetos upstream ou de outras distros.

Outra atualização para o Caldeirão é para a pilha completa do KDE: KDE Frameworks 5.32, Plasma 5.8.6 (já no core/release)  e Aplicativos KDE 16.12.3 (atualmente no núcleo/updates_testing e logo será movido para core/release).

Outras grandes atualizações que caíram no Caldeirão: Mesa 17.0.1, VirtualBox 5.1.16 e o trabalho preparatório para o Firefox 52.0 ESR!

Alguns trabalhos também foram iniciados para rever a lista de pacotes instalados por defeito para cada DE através do pacote de meta-tarefa, que não tinha sido feito por um longo tempo. Alguns pacotes antigos e obsoletos não serão mais instalados fora da caixa, o que também deve ajudar a tornar as ISOs um pouco menores.

Para dar uma visão geral do que está fervendo no Caldeirão todas as semanas: desde o nosso último resumo da  semana 9, em março, mais de 500 pacotes foram enviados e construídos em nosso buildsystem! Esta foi uma semana particularmente ocupada, ainda com as atualizações do KDE e FFmpeg. Se você for curioso, você pode sempre verificar a atividade dos últimos dois dias em pkgsubmit.

Mageia 5

Esta foi uma semana tranquila para a Mageia 5, como nenhuma atualização foi empurrada (ainda). Muitos foram testados  e você deve logo obter atualizações de segurança para Flash 24.0.0.221 e VirtualBox 5.1.12, bem como potrace, flac, wavpack e libquicktime, para citar alguns. Como sempre, se você está curioso sobre a forma como testamos atualizações e gostaria de dar uma mão, não hesite em entrar em contato com o Equipe de QA.

Comunidade

As eleições de equipes também estão em andamento, com as várias equipes em estágios diferentes, então se você faz parte das muitas equipes que temos, procure os votos ou os convites para candidatos, se eles não tiverem chegado. Uma vez que tenhamos concluído todos eles, haverá uma postagem no blog sobre o novo Conselho, com sorte, isso também virá em uma escala de tempo “não sta2” 🙂

Teremos também um estande na Chemnitz Linux Days 2017 que começa amanhã – leia mais sobre ela aqui. Se você estiver por perto, é uma grande oportunidade para conhecer alguns colaboradores e conversar sobre a Mageia, o Linux e todas as coisas Open Source.

(escrito em inglês por Donald Stewart e traduzido por macxi e Carlos Filho)

 

O próximo passo para a Mageia 6 está aqui: lançado o sta2

Todos na Mageia temos o prazer de anunciar o lançamento do nosso último marco de desenvolvimento, o nosso segundo instantâneo de estabilização (sta2) . Estamos agora um passo mais perto do lançamento do Mageia 6!

 8 meses de correção e polimento de bugs

Sabendo que o nosso instantâneo anterior, o  sta1, foi lançado em julho de 2016. Esta nova versão de desenvolvimento estava muito atrasada. Conversamos longamente sobre as razões desse atraso em um post anterior do blog . Em poucas palavras, pode ser resumido como uma sucessão de atrasos devido à falta de disponibilidade dos principais contribuintes, problemas de infra-estrutura, bugs no upstream do Plasma que precisava de algum tempo para amadurecer, bugs críticos de  particionamento no instalador, que nos manteve trabalhando duro por meses – e em geral nossas expectativas de qualidade habituais e nosso desejo de lançar um produto estável e bem afinado, quando estiver pronto.

Mas finalmente, aqui está! Estamos muito satisfeitos com a forma como o sta2 acabou e esperamos que ele vá suavemente para o release candidate e a versão final nas próximas semanas.

Imagens ISO live com Xfce

A grande notícia para este lançamento é que estamos oferecendo ISOs Live com ambiente Xfce, como um substituto para o nosso GNOME de 32 bits e ISOs Live com o Plasma. Portanto, agora fornecemos quatro imagens ISO Live: Plasma de 64 bits, GNOME de 64 bits, Xfce de 32 bits e 64 bits.

Sentimos que a linha atual de ISOs abrange tudo o que a anterior abrangia, mas também fornece uma alternativa leve para sistemas mais antigos e menos poderosos, ou para aqueles que preferem um ambiente de desktop mais leve. Com a nova linha, você pode ver que ainda temos uma grande cobertura para sistemas de 32/64 bits, e a instalação clássica ou de rede permitirá que você instale a área de trabalho de sua escolha, na arquitetura de sua escolha, com sua opção de instalação pacotes .

Versões dos pacotes

Agora, vamos ao quer realmente interessa! Mageia 6 sta2 vem com o seguinte:  

  • Linux Kernel 4.9.13 (atual LTS)
  • X.Org 1.19.1
  • Plasma 5.8.5 (atual LTS)
  • Gnome 3.22.3
  • MATE 1,16
  • Cinnamon 3.2.4
  • Xfce 4.12.1
  • LibreOffice 5.3.1.1
  • Firefox 45 ESR
  • Thunderbird 45 ESR
  • Chromium 56

Tem havido muito trabalho para obter Plasma integrado e funcionando como deveria. O atraso permitiu versões muito mais recentes do Plasma 5 e dos Aplicativos KDE, o que melhorou bastante a sua qualidade.

Outras partes importantes da distribuição também foram atualizadas. Você pode ver a lista completa de pacotes para as ISOs aqui . As notas de lançamento da versão estão disponíveis aqui, assim como as erratas.

Se você quer testar a nova versão de desenvolvimento, você pode encontrar as ISOs aqui . Tenha em mente que esta é uma versão candidata a prélançamento, portanto, não está pronta para uso em produção. Se você encontrar algum erro, informe-o no nosso Bugzilla para que possa ser corrigido para a versão final.

Se houver qualquer coisa que você queira discutir sobre o lançamento, Mageia tem listas de discussão específica, e o índice completo pode ser visto aqui .

Qual é o próximo passo?

O lançamento do sta2 é um instantâneo do Caldeirão num momento específico (neste caso, datado de 28 de fevereiro). Isso significa que o trabalho no Caldeirão continuou, e já há grandes mudanças que você receberá nas atualizações do sistema instalado, entre as quais:

  • Corrigido applets da bandeja de sistema do Plasma para mgaapplet (ferramenta de atualização de pacote ) e net_applet (ferramenta de gerenciamento de rede )
  • Mesa 17.0.1 (Esta versão vem com 13.0, que era o ramo anterior)
  • PulseAudio 10, e em breve FFmpeg 3.2
  • Melhorias e correções para o pacote do IceWM e do PostgreSQL

Como sempre, se você quiser contribuir para a melhoria da Mageia, seja com empacotamento, com o  desenvolvimento, com o controle de qualidade, com testes ISO, ou com qualquer outra coisa que fazemos, a página de colaboração é um bom lugar para começar.

(escrito em inglês por Rémi Verschelde e traduzido por macxi e Carlos Filho)

Resumo semanal – 2017, semana 9

Devido a boa recepção do resumo da semana passada, continuamos a dar notícias sobre o que está acontecendo na Mageia.

Caldeirão

Testes feitos pela equipe de QA mostraram que o infame bug de particionamento (mga#20074 ) com o qual estamos lutando há vários meses foi devidamente corrigido! Huurra para o trabalho de Martin Whitaker para corrigir este bug e vários problemas relacionados! 🎉

Houve infelizmente uma pequena regressão nesse conjunto de imagens ISO, por isso fizemos um outro conjunto há alguns dias (tanto para as imagens de instalador Live e o clássico). Aliás, isso nos permitiu incluir recentes atualizações de pacotes no Caldeirão. As coisas estão começando a parecer ótimas!

Em outras notícias, estamos começando a ver o progresso no mga#17592 , um bug bloqueador de lançamento com um ano de idade, relacionado às ferramentas da bandeja do sistema Mageia que não funcionam no desktop Plasma. É uma escolha de projeto upstream (ou regressão, dependendo do ponto de vista) que afeta todas as aplicações GTK+3 usando a interface de bandeja do sistema XEmbed. Uma vez que não estávamos vendo nenhum progresso no upstream, nós enfrentamos o difícil desafio e começamos a portar os nossos applets (mgaapplet e net_applet) para a especificação StatusNotifierItem (SNI). Enquanto escrevemos essas linhas, Frédéric Buclin (LpSolit) está fazendo um progresso excelente no mgaapplet!

Além do trabalho mencionado acima, o Cauldron também viu algumas atualizações importantes esta semana, como LibreOffice 5.3, PulseAudio 10, OBS Studio 18 (novo na Mageia 6, mas uma versão ligeiramente mais velha do que está disponível como um backport para Mageia 5). Upgrades para FFmpeg (e todos os pacotes dependentes), bem como a pilha de Plasma também foram preparados – mas só serão empurrados uma vez sta2 for liberado, para evitar a introdução de problemas transitórios durante o teste ISO.

Mageia 5

Validamos a atualização crítica do kernel mencionada na semana passada no início da manhã do sábado (horário UTC). Também lançamos atualizações de segurança para mailman, libevent, firebird, util-linux, webkit2 e alguns outros. Se você está curioso sobre atualizações , você sempre poderá verificar em advisories.mageia.org para ver quais atualizações foram validadas e ler os avisos correspondentes para obter detalhes.

Uma atualização do VirtualBox está sendo validada e deve ser lançada nas próximas horas. Por outro lado, o backlog (resumo histórico) do QA é impressionantemente baixo, especialmente porque eles estão gastando muito tempo testando as ISOs da Mageia 6! Agradecemos a todos eles por seu trabalho duro!

Comunidade

Enquanto alguns de nós estão se preparando para um evento Linux em Chemnitz , as várias equipes estão organizando nossas eleições de líderes de equipe anuais. A equipe de QA já concordou em um novo trio em sua liderança – outras equipes estão em processo de escolha de candidatos, ou ficando para trás um pouco (como a equipe de embalagem, mas para a sua defesa (e a minha, como co-líder da equipe de embalagens!), eles estão muito ocupados trabalhando no Cauldreirão e nos bugs bloqueadores 😉!).

Fique atento para mais notícias em postagens de blogs futuros e nosso próximo resumo semanal!

(escrito em inglês por Rémi Verschelde e traduzido por macxi e Carlos Filho)

 

Mageia no Chemnitz Linux Days 2017

Como todos os anos na Primavera , o Chemnitz Linux Days ( Chemnitz Linux Tage – CLT) está chegando em breve e temos o prazer de mostrar nosso projeto, nossa comunidade e nossa grande distribuição lá. Realiza-se nos dias 11 e 12 de Março, no salão central da Universidade Técnica de Chemnitz (Alemanha).
No ano passado tivemos alguns problemas na preparação e, embora tivéssemos que cancelar nosso estande, alguns de nós conseguimos apresentar pelo menos uma equipe principal. Por isso estamos muito felizes que os organizadores ainda acreditam em nosso projeto e nos dão novamente a oportunidade de apresentá-lo este ano com um estande adequado!

Queremos apresentar funcionando o nosso  bom e estável Mageia 5, bem como os instantâneos recentes do Caldeirão e próximo Mageia 6. Vamos ter alguns laptops nos quais os visitantes poderão testar pessoalmente o sistema com seus diferentes desktops e software. É claro que também estaremos felizes em ajudar na instalação em seus próprios computadores, conforme necessário (também temos bonitos USBs com a mídia Live para KDE e GNOME, que disponibilizamos como uma pequena doação ao projeto). Finalmente, gostaríamos de discutir com você sobre a comunidade, o projeto e não vamos nos opor em falar sobre o atraso e os problemas de desenvolvimento recentes.

Por favor, venha. Ao lado de nosso stand você vai encontrar um monte de outros projetos interessantes que irá apresentar o trabalho deles . Além disso, há uma abundância de palestras cobrindo todo o espectro do mundo open source. Para as crianças também haverá um monte de atividades e a equipe, sempre bem preparada da organização da CLT, também irá lidar com a alimentação para você e ajudar com a acomodação .

Estamos ansiosos para vê-lo em Chemnitz e para recebê-lo em nosso estande!

(escrito em inglês por Marc Lattemann e traduzido por macxi)

 

De volta do FOSDEM 2017 com novas idéias e dinâmica!

Apesar de não podermos ter um stand oficial da Mageia este ano, a comunidade Mageia esteve bem representada no FOSDEM 2017 (Encontro Europeu dos Desenvolvedores de Software Livre e Open Source) em Bruxelas. Tivemos uma conversa oficial de Anne e Samuel no Distributions devroom, uma reunião informal da vida real da Mageia, o tradicional jantar Mageia e muitas ocasiões para nos reunir em pequenos grupos para discutir nossa distro favorita e comunidade.

A conversa da Mageia: Sucessos e lições aprendidas 6 anos após a bifurcação

Anne Nicolas (ennael) e Samuel Verschelde (stormi)  fizem uma inspiradora conversa sobre o atual estado de coisas da Mageia: Qual é o nosso novo propósito 6 anos após o “salvamento comunitário” inicial da bifurcação da Mandriva? O que conseguimos na comunidade Mageia? O que ainda está por fazer ou precisa ser melhorado para que possamos continuar a crescer e melhorar a distro?

Graças ao excelente trabalho da equipe de vídeo do FOSDEM, está disponível para  assistir à gravação de vídeo dessa conversa!

Vídeo da palestra (26 min), em WebM. Experimente o MP4 se não funcionar.

Reunião informal

No final da palestra, Marja van Waes (marja) convidou todos os presentes interessados ​​a se juntarem a nós na nossa reunião prevista na parte da tarde. Nós éramos talvez 15 Mageianos para esta reunião e tivemos dois colaboradores do Fedora e do LibreOffice que se juntaram a nós e deram muitas boas idéias sobre como eles abordam os problemas que discutimos em seus próprios projetos.

Esta reunião foi uma grande ocasião para fazer uma revisão informal do estado atual da distro e da comunidade (usualmente usamos esta oportunidade para ter a assembléia geral da associação Mageia.Org, mas temendo um menor comparecimento este ano devido à falta de um estande da Mageia,  planejamos uma reunião mais tarde on-line), e especialmente para discutir todas as questões de infra-estrutura que continuamos empurrando para a frente por falta de tempo sysadmin.

Isso ajudou a construir algum impulso e já estamos vendo algumas melhorias em várias tarefas sysadmin (como melhorar a granularidade de direitos para que os aprendizes sysadmin possam acessar o infra com direitos restritos, para ajudar a compartilhar a carga) e novas discussões e idéias em longo prazo -term mudanças que queremos fazer para Mageia 7 (tais como portar o nosso repositório de origem pacotes de SVN para Git , ou implementar uma forja de software moderno, como Pagure ou GitLab CE).

Jantar Mageia

Seguindo nossa tradição, tivemos um jantar Mageia no sábado à noite com aqueles que estavam disponíveis. Foi uma grande oportunidade para conversar sobre a Mageia e vários outros tópicos de interesse. O serviço foi bastante lento, mas que nos deu ainda mais tempo para discutir enquanto estávamos à espera;). Nós realmente gostamos deste jantar anual.  Como FOSDEM em si é um evento muito agitado,  ter um ritmo lento à noite é muito útil para conhecer melhor os colaboradors com quem estamos trabalhando na Internet durante todo o ano.

Este ano novamente, o FOSDEM realmente nos mostrou que ter um evento na vida real, onde podemos encontrar outros colaboradores Mageia, realmente ajuda a fortalecer nossa comunidade e acelera o trabalho em muitas tarefas importantes. Percebemos cada vez mais que a comunicação face a face pode ser realmente benéfica para o projeto, razão pela qual estamos olhando para as opções de videoconferência confiáveis ​​(de software livre) para que possamos, de tempos em tempos, realizar videoconferências sobre tópicos específicos.

Nós definitivamente estaremos no FOSDEM 2018, espero que com um estande,  se houver espaço para nós desta vez, e provavelmente em muitos outros eventos em todo o mundo – se você quiser representar a comunidade Mageia em um local de software livre ou evento Linux, não hesite em entrar em contato com a equipe Atelier !

(escrito em inglês por Rémi Verschelde e traduzido por macxi)

Resumo semanal – 2017, semana 8

Então, este resumo semanal é uma coisa nova que nós estávamos querendo tentar, com a esperança que trará mais atenção às mudanças do dia a dia na Mageia 5 e no Caldeirão, e  no que as várias equipes estão trabalhando agora.

A grande coisa que está acontecendo agora é o teste das ISO para a próxima etapa da Mageia 6, a sta2 (abreviação de “instantâneo de estabilização 2”). Novas imagens foram construídas com a correções para mga#20074, o erro de corrupção de tabela de partição que mencionamos em um post anterior. Se os testes tiverem êxito, o lançamento não estará muito longe.

Houve algumas grandes atualizações também. O Caldeirão está com o kernel 4.9.12, enquanto a Mageia 5 está com o kernel 4.4.50 em testes de atualizações, com várias correções de bugs e vulnerabilidade de segurança. Pouco antes de ser validado, uma nova compilação foi feita com correções escolhidas para corrigir CVE-2017-6074, uma vulnerabilidade de segurança crítica que foi anunciada ontem e fez as manchetes da imprensa especializada. Aparecerá nos espelhos depois de passar pela validação da Equipe QA, Provavelmente hoje devido à sua natureza crítica.

A atualização do ffmpeg para 3.2.x e as outras atualizações e reconstruções associadas no  Caldeirão também está em andamento; O ffmpeg 3.2.4 está disponível nos repositórios de teste e será movido para lançamento assim que estivermos confiantes de que todas as dependências inversas funcionarão com esta versão ou podem ser descartadas com segurança.

Também houve atualizações para a pilha do NetworkManager no  Caldeirão, e partes do XFCE estão sendo modificadas e atualizadas para que as novas ISOs enviadas com XFCE dêem uma grande experiência. Mais sobre isso virá em uma futura postagem no blog.

A outra grande notícia é que as eleições das equipes estão chegando, algumas equipes já começaram a discussão e vão votar em breve, então, se você está envolvido com qualquer uma das equipes, procure as mensagens sobre a votação.

Embora não seja específico para quaisquer atualizações ou coisas que você vai ver, tivemos uma interessante reunião do Conselho  na terça-feira, onde discutimos possíveis postagens de blog que queremos escrever. Uma parte interessante foi que tentamos algumas videoconferências depois da reunião, e foi bom colocar rostos nos nomes e ouvir vozes, então espero que isso ajude a facilitar algumas decisões mais rápidas e seja útil para outras reuniões e a assembléia geral anual da associação. Em uma nota maior, Schultz ficou desapontado ao descobrir que ele foi vencido no cabelo e barba …

Mais seriamente, deve haver muito mais informações disponíveis no Facebook e no Twitter, Então procure mais coisas lá. Além disso, uma nova postagem no blog sobre o processo de documentação da Mageia foi recentemente publicado. É uma leitura muito boa, dando uma boa visão sobre o que se passa para fazer a documentação e quais as diferenças entre a wiki e a “documentação oficial” que acompanha cada lançamento. Há também uma lista de outras postagens do blog sobre a colaboração com outras distribuições, jogos e outras mudanças na distro em breve, então olhe para eles também.

Como esta é a primeira dessas atualizações, gostaríamos de ouvir seus comentários sobre ela: foi informativa o suficiente? Foi muita informação? Ou qualquer outra coisa que você poderia sugerir?

(escrito em inglês por Donald Stewart e traduzido por macxi)

De onde vem a Documentação da Mageia?

Pedimos ao Lebarhon, da equipe de Documentação, que escrevesse um pouco sobre o trabalho da equipe e os vários recursos que eles criaram para nossos usuários. Neste artigo, ele apresenta seu trabalho sobre a “Documentação Oficial” e a wiki Mageia.

A Documentação Mageia é composta de duas partes: a ” Documentação Oficial e a wiki . A forma como são geridos é muito diferente.

Documentação Oficial e Mageia Wiki

Dentro da documentação oficial, temos a “Ajuda do Instalador Clássico”, a “Ajuda do Instalador Live” e a “Ajuda do NetInstall”. Esta documentação, diretamente relacionada ao processo de instalação é atualizada e enviada com cada nova versão do Mageia. A “Ajuda do MCC” (Centro de Controle Mageia) também pertence à documentação oficial. Ela é constantemente atualizada e embalada para ser incluída nas atualizações regulares baixadas. Toda a “Documentação Oficial” é escrita e validada pelas equipas da Mageia e depois traduzida para mais de 20 idiomas.

A wiki segue um processo muito diferente. Qualquer pessoa pode se cadastrar em uma conta e escrever, melhorar ou traduzir uma página wiki. O escritor é geralmente alguém que domina um assunto e quer promovê-lo (aplicação, jogo, ferramenta, configurações, truques, informações, …). Qualquer pessoa que queira traduzir uma página é bem-vinda a fazê-lo. A maioria das páginas wiki são traduzidas em 1 a 5 idiomas – o processo de tradução ainda é difícil, planejamos implantar uma extensão MediaWiki para simplificá-la (e então incentivar mais colaboradores a traduzir páginas wiki). As equipes da Mageia monitoram o wiki para garantir que ela esteja funcionando como deveria (e especialmente prevenir e remover spam), mas eles não podem revisar todas as páginas completamente.

Quem Escreve a Documentação Oficial?

A documentação oficial da Mageia depende do envolvimento de várias equipes:

  • Docteam (Equipe de Documentação), os escritores, composta por cerca de 10 pessoas, algumas das quais são nativas inglesas.
  • I18n, os tradutores, composta por 1 a 10 pessoas, dependendo da língua (cerca de 20 línguas).
  • Atelier, eles gerenciam a publicação e o acompanhamento do progresso da tradução.

As equipes são dirigidas por um líder eleito e vice-líder . Todos os novos voluntários são, naturalmente, muito bem-vindos .

O fluxo de trabalho

A documentação oficial segue um processo rigoroso. Em primeiro lugar, algumas semanas antes de um lançamento, Docteam escreve e/ou atualiza os textos em inglês no formato Docbook usando Calenco. Isso inclui fazer screenshots da próxima versão (para coincidir com a nova arte no instalador e MCC, bem como alterações GUI), verificação e revisão por um falante nativo em Inglês. Em seguida, o texto original em inglês é publicado nos formatos suportados : html, epub e pdf.

Aqui, a Equipe Atelier assume a conversão .po e sua transferência para o Transifex, graças a scripts caseiros. Os tradutores podem então fazer as traduções usando o Transifex ou qualquer ferramenta que preferirem, e também criar as capturas de tela traduzidas para colocá-las na Calenco.

Por fim, o Atelier pode publicar a documentação para todos os idiomas suportados nos formatos acima e integrá-lo nas novas ISOs (aqui também, usando scripts caseiros). O passo final é diferente para a ajuda do MCC, uma vez que não é fornecido com o lançamento, mas embalado como qualquer outra atualização.

Nada disso existe para o wiki. A escrita é feita por um voluntário sempre e em qualquer idioma que eles querem. Em seguida, melhoras e traduções são feitas por outros voluntários, se houver (sem prazo). Isso não quer dizer que informações úteis não podem ser encontradas na wiki, pelo contrário, é verdade, de fato, há muitos guias úteis e páginas de ajuda incluídas lá.

O Futuro da Documentação

Embora funcionando muito bem, as equipes Mageia têm algumas idéias para melhorar a documentação:

  • Indo para a documentação em maior profundidade para os recém-chegados, dando mais detalhes e ajuda de solução de problemas (UEFI, partição de inicialização do BIOS, configurações Grub2, Optimus …).
  • Existem ainda algumas das ferramentas do MCC ou seus recursos específicos que não são documentados ( pois envolvem hardware exótico)
  • Gostaríamos de enviar as ISOs com uma enorme seção de solução de problemas com o objetivo de ajudar as pessoas com má conexão à Internet (acesso reduzido a downloads, fóruns, ajuda, etc.).
  • Recrutamento de mais tradutores para fortalecer as pequenas equipes e oferecer mais documentação traduzida (principalmente no wiki).
  • Recrutar mais desenvolvedores para melhorar os scripts caseiros (por exemplo, sobre o gerenciamento de screenshots de documentação oficial) e atualizar o software wiki para um melhor suporte multilíngüe e um melhor gerenciamento de segurança.

Não há boa distribuição sem boa documentação em muitos idiomas e sem boa documentação sem equipes boas e grandes. Estamos contando com todos vocês.

(escrito em inglês por schultz e traduzido por macxi)